10º edição da Virada Cultural em Mogi das Cruzes acontece neste final de semana

Secretaria de Cultura

19 de maio de 2017
Palco externo – é o palco da música, que vai receber as grandes atrações deste ano, como Daniela Mercury (20/05 às 23h59) e Arnaldo Antunes (21/05 às 18h30)

Neste final de semana (dias 20 e 21 de maio), Mogi das Cruzes vai receber mais uma edição da Virada Cultural Paulista. Esta será a décima edição consecutiva do evento na cidade e a 11ª edição no Estado como um todo. Serão 44 atrações na programação, sendo 30 comandadas por artistas locais e 14 enviadas pelo Governo do Estado. Tudo isso distribuído por seis palcos e com entrada totalmente gratuita.

Veja a programação completa

Para detalhar a estrutura montada pela Prefeitura, no sentido de garantir mais uma edição de sucesso e com segurança, o prefeito Marcus Melo, acompanhado dos secretários e técnicos municipais envolvidos na organização, recebeu a imprensa na manhã desta terça-feira (16/05).

“Todos sabem que vivemos um momento de grandes desafios, mas não poderíamos deixar de realizar a Virada Cultural, em razão da boa relação que mantemos com o Governo do Estado. Por isso, buscamos recursos para sua realização. O que queremos é oferecer um evento com muita segurança, para atrair os jovens e também com ambiente familiar, a exemplo do que tivemos nos anos anteriores”, destacou o prefeito, Marcus Melo.

Melo falou também sobre as necessárias mudanças já feitas e ainda por serem feitas na agenda cultural deste ano, em virtude da crise econômica. “Neste ano já tivemos de cancelar o Carnaval e também não teremos como fazer a Expo Mogi da maneira como ela vinha sendo realizada nos últimos anos. Poder promover um evento como a Virada Cultural, portanto, é algo muito importante, ainda mais quando levamos em consideração o fato de que outras cidades deixaram de fazer o evento”, acrescentou.

O secretário municipal de Cultura, Mateus Sartori, reforçou o alcance do evento. “Diversas pesquisas mostram que a Virada Cultural é um dos eventos mais lembrados pelas pessoas, portanto estou muito feliz por conseguirmos realizar, ainda mais sabendo que muitas cidades deixaram de participar”, frisou.

Sartori lembrou ainda que, além da valorização dos artistas locais – eles representam quase dois terços do total de artistas que vai se apresentar na edição deste ano – ele buscou dar a oportunidade àqueles que ainda não haviam se apresentado em um evento do porte da Virada Cultural.

“Poder se apresentar em um evento como a Virada Cultural é algo que ajuda na construção da carreira dos artistas. Não deixa de ser, claro, uma fonte de renda, muito embora seja pequena, mas acrescenta principalmente ao currículo e à visibilidade do profissional. Por isso, além de recorreremos ao nosso cadastro de artistas, priorizamos chamar quem ainda não tinha tido a chance de se apresentar na Virada”, pontuou.

O secretário, que fez uma apresentação da parte artística do evento, lembrou ainda que, mais do que uma parceria, a Prefeitura de Mogi das Cruzes atua como uma correalizadora do evento, uma vez que ela arca com grande parte dos custos, monta a estrutura necessária e também contrata artistas locais, para complementar a programação.

Neste ano, serão mais de 270 artistas envolvidos na Virada Cultural e a expectativa é receber público de 20 a 30 mil pessoas. O investimento total, somando infraestrutura e cachê dos artistas, é de R$ 148,2 mil. Levando em consideração todas as edições anteriores, de 250 a 300 mil pessoas já conferiram as atrações da Virada Cultural em Mogi.

A estrutura montada pela Prefeitura para garantir que a edição de 2017 transcorra com tranquilidade envolve a atuação de diversas Secretarias municipais, como Segurança, Transportes, Saúde e Serviços Urbanos. Da parte da Segurança, haverá novamente parceria com as polícias militar e civil e o efetivo contará com um total de aproximadamente 200 profissionais atuando ao longo do evento como um todo. Além disso, vale destacar que a Prefeitura contrata seguranças particulares e brigadistas para atuarem no evento.

Transporte

Já a Secretaria de Transportes vai disponibilizar saídas extras de ônibus do sistema de transporte coletivo municipal, para que o público presente no evento tenha alternativas de transporte para voltar para casa. Oito linhas anteciparão em uma hora o retorno das atividades do domingo e sairão, portanto, às 3 horas do Terminal Estudantes. São elas: E103/ E104 (Jundiapeba), E111/ E110 (Jardim Layr), E203/E305 (Santo Ângelo/ Kaoru Hiramatsu), E506 (Morada do Sol) e E510 (Vila Suíssa). Nos casos em que há combinação entre duas linhas, significa que um ônibus atenderá a dois itinerários.

Além disso, a linha C002, que parte do Terminal Central e atua como circular na região central, terá uma alteração no itinerário e fará três partidas extras (à 1h30, às 2h30 e às 3h30), servindo como alternativa de deslocamento das pessoas entre os palcos da Virada. Haverá ainda cinco veículos reserva, que podem ser utilizados, caso a demanda justifique.

Saúde

Da parte da Saúde, a Cure 192 estará operando normalmente, podendo ser acionada por todo e qualquer cidadão no caso de necessidade. Além disso, será montado um posto médico no Ginásio Municipal de Esportes “Professor Hugo Ramos” e ali haverá também uma ambulância de plantão.

Limpeza Pública

No que tange à limpeza pública, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos também montou um esquema especial, para garantir que a cidade permaneça limpa e em boas condições durante e depois do evento. Todos os palcos, com exceção do Theatro Vasques, terão containeres, para o descarte correto do lixo por parte do público e uma equipe reforçada de varredores, formada por aproximadamente 40 profissionais, atuará em força-tarefa no domingo de manhã. Após as apresentações do domingo, outra equipe cuidará da limpeza na manhã da segunda-feira.

Palcos

Palco 1 – Palco externo (estacionamento do Ginásio Municipal de Esportes) – é o palco da música, que vai receber as grandes atrações deste ano, com destaque para Daniela Mercury, que se apresenta a partir das 23h59 do sábado (20/05) e Arnaldo Antunes, que faz show a partir das 18h30 do domingo (21/05), fechando a programação da Virada Cultural.

Palco 2 – Theatro Vasques (Rua Dr. Corrêa, 515 – Centro) – será o palco do teatro, do humor e da música. Será também o local da abertura oficial da Virada Cultural, que acontece a partir das 18 horas do sábado (20/05), com a apresentação da peça “Dom Quixote”, pela Cia. Brasileira de Danças.

Palco 3 – Centro Cultural de Mogi das Cruzes (Praça Monsenhor Roque Pinto de Barros, 360 – Centro) – será um palco bem diverso, recebendo música, literatura, teatro, sarau e contação de histórias

Palco 4 – Largo Bom Jesus – será um palco mais diverso neste ano, recebendo música eletrônica, MPB, reggae, música instrumental e samba. Ema nos anteriores, era mais voltado à música sertaneja e de raiz. O coreto será novamente utilizado como palco e empreendedores de rua, que comercializam alimentos, também serão novamente convocados, de modo que o local servirá como uma pequena praça de alimentação.

Palco 5 – Largo do Rosário – o palco, que é conhecido como palco rock, neste ano também terá uma programação artística mais diversificada, com apresentações de rap, MPB, jazz, blues e também o tradicional rock.

Palco 6 – Praça Flávio Furlan (Terminal Central) – já conhecido como palco da música eletrônica, seguirá sua vocação e receberá diversos DJs e seus convidados ao longo da programação.

Vale lembrar que, assim como em anos anteriores, o palco externo será montado no estacionamento do Ginásio Municipal de Esportes “Professor Hugo Ramos”, pela proximidade com o terminal de ônibus, a facilidade de estacionamento nas imediações e por não requerer grandes interdições viárias.

Mais informações pelo telefone 4798-6900. (Lívia de Sá)

Sobre a Virada Cultural Paulista

A Virada Cultural Paulista é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, que investe na programação artística principal. Os municípios são correalizadores, ficando responsáveis pela montagem da infraestrutura de palco, som, segurança e limpeza, além de reforço à programação artística. Pela primeira vez, a Virada terá apoio do Ministério da Cultura, por meio do Fundo Nacional de Cultura e da Lei Rouanet. Além do SESC-SP, também apoia o evento o festival Risadaria, que contribui com a participação dos artistas de stand up comedy.

O evento é produzido pela APAA - Associação Paulista dos Amigos da Arte, organização social de cultura parceira da Secretaria.

Criada em 2007 pelo Governo do Estado de São Paulo, a Virada Cultural Paulista tornou-se o mais relevante evento cultural do interior e litoral paulistas, com a proposta de promover um grande festival gratuito e simultâneo em cidades de médio e grande porte. Desde o princípio, a Virada tem buscado proporcionar ao público o acesso às melhores produções artísticas do País, nas mais variadas linguagens: música, dança, circo, artes cênicas, arte para crianças, dentre outras.