Mais 420 famílias mogianas serão contempladas com apartamentos do Minha Casa Minha Vida

Coordenadoria de Habitação

03 de outubro de 2016
Acessibilidade

O prefeito Marco Bertaiolli conduziu, na manhã desta segunda-feira (19/09), uma reunião de trabalho do programa Minha Casa Minha Vida, no Centro Municipal de Formação Pedagógica (Cemforpe). Durante o encontro, ele anunciou a mais 420 famílias mogianas que elas tiveram seus cadastros aprovados e terão a oportunidade de financiar, com grande subsídio, unidades do programa. Trata-se do primeiro grupo de contemplados com os apartamentos construídos às margens da avenida Kaoru Hiramatsu, na Porteira Preta. As famílias receberão, em um prazo estimado em 60 dias, as chaves da casa própria, nos empreendimentos Itapeti e Ypê. O momento do anúncio foi marcado por muita emoção. "Este é sem dúvidas um dos momentos mais gratificantes para mim enquanto prefeito, pois, com esta notícia, mudamos a vida das pessoas. A partir de hoje, todas as famílias aqui presentes sabem que não terão mais que viver de aluguel ou de favor. Não terão mais que se preocupar com onde vão morar no ano que vem, se o aluguel vai subir ou não. Acima de tudo, passam a ter um lugar seguro e tranquilo para morar com toda a família e um patrimônio para deixar para os filhos", afirmou Bertaiolli. O prefeito falou também sobre a completa estrutura dos empreendimentos entregues, tanto dentro quanto fora dos condomínios. "Estamos construindo ali na avenida Kaoru Hiramatsu praticamente uma nova cidade, já pensada justamente para proporcionar qualidade de vida aos novos moradores. É um projeto audacioso e ousado. Além dos 1.240 apartamentos, já entregamos ali duas creches em período integral, vamos entregar nesta semana um CEMPRE, entregaremos a UPA, que fará os atendimentos de urgência e emergência em regime de 24 horas e ainda concluiremos, até o final do ano, a duplicação da via, que deixa de ser uma estradinha para se tornar uma avenida, com duas pistas em cada sentido, ciclovia, canteiro central com iluminação e calçadas", destacou. Também coube à Prefeitura todo o investimento necessário para garantir a infraestrutura básica dos empreendimentos, como as ligações de água, esgoto, energia elétrica e pavimentação das vias de acesso. Além disso, graças ao investimento conjunto do governo federal e estadual nos empreendimentos, os condomínios residenciais serão entregues com um alto padrão de acabamento e dotados de áreas comuns para o lazer, convivência e prática de esporte dos futuros moradores, como churrasqueira, salão de festa e quadra poliesportiva. Os prédios possuem ainda vagas de estacionamento, portaria e sistema de interfones. No caso do Itapeti, que é um pouco menor, a área de estacionamento é dotada de 61 vagas comuns, seis vagas para deficiente e uma para carga e descarga. Já o Ypê, que tem 20 unidades a mais, possui 66 vagas comuns, sete para deficientes e uma também destinada à carga e descarga. O Itapeti é composto por 10 blocos e o Ypê por 11, sendo ambos com cinco pavimentos. A área privativa das unidades dos dois empreendimentos têm 44,12 metros quadrados totais, divididos em dois quartos, circulação, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes. Cada unidade está avaliada em aproximadamente R$ 120 mil, porém, conforme as regras do programa, as famílias pagarão parcelas mensais de R$ 80,00 a R$ 270,00 por cada uma delas, por um período de dez anos. A oscilação de valor se refere à renda familiar bruta, pois as parcelas são calculadas diretamente de acordo com os rendimentos da cada titular, nunca ultrapassando a proporção de 25% da renda total. O residencial Itapeti atenderá a 171 famílias da demanda geral, mais 29 da demanda específica, sendo 10 idosos, 10 deficientes e nove famílias transferidas de área de risco. Já o Ypê beneficiará 178 famílias da demanda geral e 42 de demanda específica, sendo 11 idosos, 11 deficientes e 20 moradores de área de risco. Entorno Além do projeto da Kaoru Hiramatsu, o prefeito Marco Bertaiolli citou demais investimentos feitos na região do Oropó e que também contribuem para a oferta de um bairro completo e bem estruturado. São obras como a recuperação da avenida Japão, que foi feita em duas etapas, concluídas em 2011 e 2012, a urbanização do Jardim Santos Dumont III e a entrega de equipamentos como o CRAS do Jardim Layr, as duas unidades do Programa Saúde da Família, no Aeroporto II e Planalto e as Academias da Terceira Idade (ATI), no Aeroporto III e Praça da Aeronáutica. Balanço programa No último dia 9, a Prefeitura de Mogi das Cruzes, em parceria com a Caixa Econômica Federal e Governo do Estado, fez a entrega dos empreendimentos Apoema I e II, na avenida Prefeito Maurílio de Souza Leite Filho. Com essa entrega, o município atingiu a marca das 4 mil unidades do programa Minha Casa Minha Vida entregues desde 2009. Com a iminente entrega do Itapeti e Ypê, subirá para 4.420, portanto, o número total de apartamentos entregues. Há ainda outras 820 unidades em construção na avenida Kaoru Hiramatsu e com previsão de entrega até o final deste ano, portanto o número total de entregas chegará a 5.240 até dezembro. São aproximadamente 22 mil pessoas diretamente beneficiadas. (LMS)