Técnicos do Ministério das Cidades constatam bom andamento de obras estruturantes

Secretaria de Obras

19 de maio de 2016
Acessibilidade
Prefeito Marco Bertaiolli recebeu técnicos do Ministério das Cidades e secretários municipais no gabinete: Mogi das Cruzes mantém obras estruturantes apesar da crise econômica brasileira

Apesar da crise econômica que afeta o Brasil, Mogi das Cruzes está conseguindo manter o bom ritmo de grandes obras estruturantes e, com isso, criar empregos e promover o desenvolvimento. A constatação foi feita por dois técnicos do Ministério das Cidades que estiveram na cidade nesta quinta-feira (19/05) e verificaram pessoalmente o andamento da construção do Complexo Viário Jornalista Tirreno Da San Biágio, do Corredor Leste-Oeste, da duplicação da avenida Kaoru Hiramatsu e da já concluída avenida Julio Simões. Todas as intervenções contam com recursos federais, a partir de projetos elaborados e aprovados pela Prefeitura de Mogi das Cruzes.

O prefeito Marco Bertaiolli recebeu no gabinete os analistas de infraestrutura do Ministério das Cidades, Carlos Eduardo Afonso Gonçalves e Gabriel Peres. Ao lado dos secretários municipais João Francisco Chavedar (Planejamento e Urbanismo), Nilmar de Cássia Ferreira (Serviços Urbanos) e Cláudio Rodrigues (Obras), Bertaiolli destacou a qualidade dos projetos apresentados pela Prefeitura, além da gestão das obras a partir da liberação dos recursos e das licitações concluídas: "Todos os nossos projetos que foram encaminhados ao Ministério das Cidades receberam aprovação e tiveram os recursos liberados. As obras estão em pleno andamento, como você podem ver hoje aqui na cidade, e serão responsáveis por importantes melhorias na área de mobilidade urbana em Mogi das Cruzes", disse Bertaiolli.

Os técnicos e secretários municipais estiveram inicialmente no Complexo Viário Jornalista Tirreno Da San Biágio, onde o coordenador da Caixa Econômica Federal, Alexandre Pestana, se uniu ao grupo. As escavações do túnel 2 estão em estágio avançado e atualmente se encontram embaixo da linha férrea. De acordo com Chavedar, em pouco tempo as duas frentes de trabalho se encontrarão e a expectativa é de que o túnel 2 seja concluído e liberado até o final do ano, ligando as ruas Dr. Ricardo Vilela e Hamilton da Silva e Costa. A obra tem investimento de R$ 128,8 milhões e inclui ainda o túnel 1, também em andamento, que ligará a rua Cabo Diogo Oliver à avenida Adhemar de Barros.

Em seguida, o grupo seguiu para o corredor leste-oeste, que terá 9 quilômetros de extensão, sendo 2.650 metros no trecho da Avenida Guilherme George entre o Rio Taiaçupeba e o Rio Jundiaí; 2.300 metros no trecho da nova avenida das Orquídeas, entre o Rio Jundiaí e a rotatória da Avenida Perimetral, junto ao Viaduto Argeu Batalha; 2.650 metros no trecho entre a rotatória da Avenida Perimetral, junto ao Viaduto Argeu Batalha, e a Avenida Cavalheiro Nami Jafet, junto à linha férrea da CPTM, e finalmente mais 1.400 metros no trecho entre a avenida Cavalheiro Nami Jafet, junto à linha férrea da CPTM, e o Terminal Central. As obras já estão em andamento, com investimento total de R$ 88,5 milhões, e incluem duas pistas com mais de 10 metros de largura cada uma, corredor exclusivo para o transporte coletivo no canteiro central, ciclovia e calçada para a circulação de pedestres.

O conjunto de obras que estão sendo realizadas na avenida Kaoru Hiramatsu também foi vistoriado pelos técnicos. Ao todo, cerca de R$ 115 milhões estão sendo investidos na região em equipamentos de saúde, educação e habitação, além da duplicação da via, que liga a avenida Japão à rodovia Mogi-Bertioga. Serão duplicados os 2,62 quilômetros da avenida, que passará a contar com quatro faixas (duas faixas em cada sentido), ciclovia com 2,5 metros de largura e calçadas nos dois sentidos.

Além da duplicação da Kaoru Hiramatsu, a região também receberá 1.240 unidades habitacionais, em parceria com os Governos Federal e Estadual, por meio dos programas Minha Casa Minha Vida e Casa Paulista, além de uma Unidade de Pronto Atendimento, que terá capacidade para realizar até 7 mil atendimentos por mês. O equipamento de saúde terá 1,6 mil metros quadrados de área construída e contará com consultórios, 11 leitos, sendo dois de isolamento, salas de observação, raio-X, eletrocardiografia, carrinhos de parada cardíaca, pediatria de emergência e exames laboratoriais.

As obras na região incluem ainda a construção do 6º Cempre de Mogi das Cruzes, que terá capacidade para 1.160 alunos, sendo 110 em período parcial na Educação Infantil e 1.050 no Ensino Fundamental no período integral, e da 59ª creche/escola da cidade, que está em fase final de construção, ao lado, com capacidade para 110 alunos.

Avenida Julio Simões

Entregue em fevereiro deste ano, a quarta fase das obras de urbanização da avenida Julio Simões encerrou os trabalhos de uma das maiores e mais complexas obras de infraestrutura já realizadas em Mogi das Cruzes. Após cinco anos, a intervenção foi concluída, com investimento total de R$ 99,5 milhões e com uma solução para passivo estrutural de mais de 40 anos, beneficiando 70 mil pessoas com uma completa renovação urbana, composta por ações estruturantes como saneamento básico e mobilidade. O grupo formado pelos técnicos do Ministério das Cidades e pelos secretários municipais percorreu a avenida. "Foi uma obra complexa, mas que trouxe como resultado a transformação completa desta região", pontuou o secretário Nilmar Ferreira. (MAS)