Ações de educação ambiental oferecem lazer e formação aos cidadãos em 2019

Secretaria do Verde e Meio Ambiente

30 de dezembro de 2019
Acessibilidade

As ações de educação ambiental foram destaque no trabalho da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente ao longo de 2019. As visitas ao Parque Municipal Chiquinho Veríssimo, ao Viveiro de Mudas do Parque Leon Feffer, as palestras no Junho Verde e a reabertura da Ilha Marabá foram algumas iniciativas que proporcionaram formação aos estudantes e cidadãos em geral, além de servirem para mostrar a variedade e as atrações existentes nos equipamentos públicos ligados ao meio ambiente.

“A Secretaria do Verde e Meio Ambiente tem uma série de atribuições e, entre elas, está oferecer educação ambiental aos cidadãos. Na prática, isso acontece por meio de ações e eventos práticos, onde as pessoas vivenciam a natureza, seja em um passeio pelo Parque Municipal ou durante uma aula sobre os ecossistemas existentes na cidade. Temos uma programação permanente de eventos desse tipo e os resultados são muito positivos”, explica o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Daniel Teixeira de Lima.

As visitas ao Parque Municipal Chiquinho Veríssimo são um exemplo. Nelas, os cidadãos assistem a uma palestra, na qual aprendem um pouco sobre a história do parque e da Serra do Itapeti – onde a reserva está localizada, em seu topo. Em seguida acontece a trilha, considerada de média complexidade e com cerca de 1,5 quilômetro de extensão. Acompanhadas de um guia, as pessoas podem observar espécies como saguis e admirar a vista do parque, um dos principais espaços preservados de Mogi das Cruzes.

Com limite de 120 pessoas por dia, as visitas são gratuitas e proporcionam às pessoas a oportunidade de conhecer um local onde existem cerca de 300 espécies de aves identificadas, além de 40 tipos de mamíferos: “Muitos mogianos conheceram o Parque Municipal nas décadas de 70 e 80, que funcionava com outra configuração, e hoje querem rever o espaço, que se tornou uma reserva ambiental. As visitas têm grande procura e recebemos pessoas de outras cidades, que ficam maravilhadas com a exuberância da Serra do Itapeti”, explica o secretário.

Viveiro de Mudas e Ilha Marabá

Outro local que recebe visitas e oferece formação ambiental é o Viveiro de Mudas do Parque Leon Feffer. Lá os estudantes aprendem sobre plantio de mudas, conhecem todas as etapas de desenvolvimento das espécies e participam de demonstrações práticas sobre a importância da cobertura verde para prevenir a erosão. O diretor da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, André Miragaia, explica que as ações agradam a alunos e professores, pois são práticas:

“Aqui os estudantes conhecem as plantas, podem mexer na terra e em vários eventos participam de plantios coletivos, que enriquecem e diversificam a cobertura verde do Parque Leon Feffer, localizado às margens do rio Tietê”, explica. Um dos principais eventos deste ano aconteceu no dia 6 de dezembro, quando o parque recebeu 150 novas mudas de árvores frutíferas, plantadas por alunos de duas escolas estaduais de Mogi das Cruzes – Professor Camilo Faustino de Melo, do Socorro, e Professora Lucinda Bastos, de Jundiapeba.

O trabalho fez parte do Programa Alfabetização Ambiental, realizado por meio de uma parceria entre a Prefeitura de Mogi das Cruzes e a Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente. Miragaia participou do evento e conta que o Circuito Escola – uma das atividades permanentes do do Viveiro de Mudas – faz os jovens vivenciarem a importância da vegetação. “Ali eles entendem a relação que existe entre disponibilidade de água e florestas. A experiência prática de plantar uma semente, ou de colocar uma muda no chão, que um dia vai virar uma árvore, desperta neles a responsabilidade em conservar”, diz.

A Ilha Marabá é outro equipamento municipal que proporciona lazer e educação ambiental aos jovens. Reinaugurada no dia 27 de junho deste ano, o equipamento recebe visitas de alunos da rede municipal, grupos de estudantes universitários e o público em geral. Com 13,4 mil metros quadrados, o local recebeu uma grande reforma interna, com nova pintura, reparos na alvenaria e instalação de novas placas de orientação - tudo foi executado com mão-de-obra própria da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente. Também foi feita a troca de todo o madeiramento da ponte sobre o Rio Tietê.

Assim que chega ao espaço, o visitante tem uma exposição de fotos de animais registrados em Mogi das Cruzes, assiste também a um vídeo sobre água e florestas e tem informações a respeito da história da Ilha Marabá. Em seguida, pode fazer a trilha e conhecer de perto do rio Tietê. Não é preciso fazer reservas antecipadas e os visitantes podem fazer a trilha sozinhos ou, se preferirem, acompanhados por monitores. O equipamento está fechado neste recesso de final de ano e retomará as atividades no dia 6 de janeiro. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados, das 9h às 14h

Em 2019, a Ilha Marabá recebeu eventos como polinização de orquídeas, doação de mudas dentro da Semana da Primavera, além de visitas de alunos. No dia 20 de novembro, foi apresentado no local o Plano Municipal da Mata Atlântica, com a presença de autoridades, ambientalistas, estudantes e do público em geral. Paralelamente à apresentação do plano, a Ilha Marabá recebeu a exposição “Biodiversidade da Mata Atlântica”, na Ilha Marabá, que ocorreu entre o dias 20 e 29 de novembro. A mostra contou com espécies coletadas por alunos do curso de Biologia da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), que também atuaram como monitores e deram explicações detalhadas aos visitantes. (Marco Aurélio Sobreiro)