Estudantes de Jundiapeba visitam estação de tratamento de água do Semae

Serviço Municipal de Águas e Esgotos

03 de março de 2020
Acessibilidade

Estudantes do Ensino Fundamental do Centro Municipal de Programas Educacionais (Cempre) Oswaldo Regino Ornellas, de Jundiapeba, participaram, na manhã desta terça-feira (03/03), da primeira visita monitorada do programa Semae de Portas Abertas de 2020, na Estação de Tratamento de Água (ETA) Leste, no Socorro. Coordenado pela Divisão de Meio Ambiente do Serviço Municipal de Águas e Esgotos, o programa tem como objetivo levar a estudantes conhecimentos sobre todo o processo de produção e distribuição de água, desde a captação até o momento em que chega às residências, uso consciente, responsabilidade ambiental e o funcionamento da autarquia.

Na visita, os participantes assistem a vídeos e palestras sobre saneamento e o papel do Semae; o processo de tratamento de água; cuidados com a água, evitando desperdícios e atentando-se a possíveis vazamentos na residência ou nas ruas; o conceito de água virtual e como ele está ligado ao consumo de forma geral; a importância da mata ciliar e proteção dos mananciais; o impacto do lixo lançado nas ruas ou redes de esgoto (ralos ou vaso sanitário) e a disponibilidade hídrica.

Após a palestra, os visitantes são acompanhados pelos monitores até o laboratório (onde é feita uma simulação do tratamento da água) e, posteriormente, conhecem a estação.

Responsáveis pelas escolas ou instituições que tiverem interesse em marcar a visita devem ligar para 4798-6392 (Divisão de Meio Ambiente do Semae), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, ou enviar email para visitas@semae.sp.gov.br.

As visitas são de março a dezembro, sempre às terças e quintas-feiras, às 9h, com duração aproximada de uma hora e meia e orientação de monitores. Podem participar alunos de escolas públicas (municipais e estaduais) e particulares, com idade mínima de 10 anos ou estar no 4º ano do Ensino Fundamental.

Embora a maior parte do público seja formada por crianças, o programa também é aberto a jovens e adultos do ensino técnico e superior. Além disso, ao longo do ano há edições especiais para instituições e a comunidade em geral. O número de participantes é de no mínimo 20 e no máximo 40.

O programa é um importante elo entre a autarquia e a rede escolar, pois as crianças são multiplicadoras de informação e levam o aprendizado para casa, conversando com os pais, irmãos e colegas. É uma contribuição para a formação das novas gerações.

Desde que o projeto foi criado, em 2011, foram realizadas 419 visitas, com um total de 10.977 participantes de diversas instituições e níveis escolares. Em 2019, o programa registrou recorde de participantes em um mesmo ano: 1.846. (Julio Nogueira)