Campanha do Laço Branco mobiliza homens pelo fim da violência contra a mulher

Secretaria de Assistência Social

07 de dezembro de 2017
Acessibilidade

Mogi das Cruzes promoveu nesta quarta-feira (06/12), na Praça Francisco Urbano, Distrito de Braz de Cubas, a Campanha do Laço Branco, uma iniciativa mundial voltada para sensibilizar, envolver e mobilizar os homens pelo fim da violência contra a mulher. A ação foi uma iniciativa dos funcionários das unidades do Cras e Creas de Braz Cubas, acompanhados de jovens assistidos por medidas sócio-educativas, que divulgaram o movimento com faixas e bexigas, divulgando o Disque Denúncia 180 para casos de denúncia.

A Campanha Brasileira do Laço Branco desenvolve atividades em consonância com as manifestações dos movimentos organizados de mulheres e de outras representações sociais que buscam promover a equidade de gênero, através de ações em saúde, educação, trabalho, ação social, justiça, segurança pública e direitos humanos. Em Braz Cubas, a iniciativa contou com a participação de mulheres, que aproveitaram a abertura do microfone para contar histórias e experiências pessoais.

O principal objetivo foi envolver a comunidade e fornecer informações e orientações sobre o tema da violência masculina intrafamiliar para conseguir a cessação da violência, de forma que modifique os comportamentos de abuso com base no reconhecimento desses mitos, crenças e costumes que são repetidos através dos estereótipos do poder. A ação é continuidade de um trabalho voltado para ampliar a capacidade de compreender, organizar e erradicar os comportamentos que são exercidos pelo abuso de poder dentro da família.

“Por meio dessa atividade, esperamos conscientizar os jovens sobre os direitos e deveres dos homens em relação ao núcleo familiar com intuito de quebrar os paradigmas que a sociedade impõe para diferenciar condutas que devem ser externadas pelo gênero masculino e feminino”, explica a secretária municipal de Assistência Social, Neusa Marialva.

História

A iniciativa surgiu a partir de um triste episódio. No dia 6 de dezembro de 1989, Marc Lepine, 25 anos, invadiu uma sala de aula da Escola Politécnica, na cidade de Montreal, no Canadá, e ordenou que todos os homens se retirassem da sala, permanecendo somente as mulheres. Gritando: "você são todas feministas!?", ele começou a atirar e assassinou 14 mulheres à queima roupa. Em seguida, suicidou-se. O rapaz deixou uma carta explicando que fez aquilo porque não suportava a ideia de ver mulheres estudando Engenharia, curso tradicionalmente dirigido ao público masculino.

O crime mobilizou a opinião pública e um grupo de homens do Canadá decidiu se organizar para dizer que existem homens que cometem a violência contra a mulher, mas existem aqueles que repudiam essa atitude. Eles elegeram o laço branco como símbolo e adotaram um lema “Jamais cometer um ato violento contra as mulheres e não fechar os olhos frente a essa violência”. Ao longo dos anos, a Campanha do Laço Branco vem sendo difundida em diferentes países e no Brasil está presente desde 2001.