Estúdio Municipal de Áudio e Música completa três anos de atividades

Secretaria de Cultura

14 de setembro de 2018
Acessibilidade

Na próxima terça-feira (18/09), o Estúdio Municipal de Áudio e Música (EMAM) completará três anos de funcionamento. O espaço, que é o primeiro estúdio público de gravações da cidade, foi responsável, ao longo desse tempo, pela gravação de 49 projetos e tem outros 17 em fase de produção.

Para celebrar a data, será lançado um CD coletânea, que representa a diversidade de estilos já contemplados pelo EMAM. O álbum reúne 19 faixas assinadas por artistas da cidade, de gêneros como Música Popular Brasileira (MPB), rock e hip hop. As gravações foram feitas entre os anos de 2016 e 2018.

Além de beneficiar a produção cultural local, o EMAM também trabalha com a preservação da memória do município, por meio da chamada Coleção Boigyana. São 12 projetos no total, sendo nove concluídos e três em andamento, que reverenciam verdadeiros patrimônios da cidade.

Alguns exemplos são canções do Maestro Gaó, cantos do grupo de rezadeiras do Divino Espírito Santo e um CD do Teatro Experimental Mogiano (TEM), que tem mais de 50 anos de história. Vale lembrar que atualmente a Coleção Boigyana é parte do programa Pró-Memória, lançado em dezembro de 2017.

“O EMAM veio para completar todo um aparato cultural que temos no município e também para colaborar para a política de fomento desenvolvida pela Secretaria de Cultura. Não tínhamos um estúdio público de gravações e, ao mesmo tempo, tínhamos muitos artistas com ampla produção e que jamais tinham gravado um CD na vida”, destaca o secretário municipal de Cultura, Mateus Sartori, lembrando que o EMAM não é destinado apenas ao segmento da música.

“Temos projetos de acessibilidade literária que estão sendo gravados no EMAM. É um espaço que atende desde o artista solo até orquestras, como por exemplo a nossa Orquestra Sinfônica, que já fez gravações no estúdio, com seus núcleos de cordas e metais”, conclui.

A seleção de projetos para gravação no EMAM se dá por meio de editais, que são abertos e disponibilizados a todos os artistas locais. Uma comissão faz a análise das propostas inscritas e, com base em critérios técnicos, divulga a lista dos contemplados.

Desde que foi inaugurado, o EMAM já abriu três processos seletivos e a previsão é que em dezembro deste ano o quarto seja lançado, englobando diversas categorias, estilos e segmentos. Os projetos que vierem a ser aprovados nesse novo edital começarão a ser gravados em 2019.  

Além do processo de gravação em si, o EMAM começou no ano passado a selecionar projetos para prensagem. Isto é, CDs que já estavam finalizados, porém não prensados.

O EMAM resulta de um diálogo aberto com a classe artística, que reivindicou um estúdio público de gravações durante fóruns setoriais promovidos pela Secretaria de Cultura. O local foi equipado com o que há de mais moderno no que se refere à produções audiofonográficas.

Construído em uma área de 73,10 m², o EMAM foi dividido em três ambientes: uma sala técnica com 13,60 m², onde trabalham dois técnicos, a sala A de gravação, que tem 46,65 m² e a sala B de gravação, com 6,24m².

Ele tem a possibilidade de captação de 16 canais simultâneos, o que permite gravações em mais de uma sala ao mesmo tempo. O estúdio possui completo tratamento termoacústico, desde as paredes até o piso, além de ser revestido pela chamada "Gaiola de Faraday", que isola as frequências elétricas emitidas por rádios, celulares e outros equipamentos eletrônicos.

O EMAM foi construído no piso superior do prédio do Centro de Cultura e Memória "Expedicionários Mogianos" (Museu dos Expedicionários), que passou por ampla reforma em 2015 e foi reinaugurado na mesma solenidade de entrega do estúdio.

“São poucas as cidades que possuem um estúdio público moderno como o nosso, então é um diferencial de Mogi e motivo de orgulho, pois simboliza o respeito que a cidade tem pela sua cultura”, conclui o secretário.

Coletânea comemorativa - 3 anos de EMAM

  • Amor Digital - Pedro Abib/ CD Estreitos Nós - Aline Chiaradia
  • Caipirerê - Paulo Henrique, Juca Filho e Murilo Antunes/ CD Caipirerê - Paulo Henrique
  • Não Sei Pousar - Gui Cardoso, Gabriel Tarragô e Kacá Novais/ CD Não Sei Pousar - Gui Cardoso
  • Megalomaníaco - Os Chás/ CD Já Delírio - Os Chás
  • Chapeu de Côco - Danilo Souza, com participação especial de Siba e Kaw Sissoko/ CD Carta na Manga - Carta na Manga
  • Avessamente - Thaís Naomi/ CD Avessamente - Thaís Naomi
  • Há Vários Sintomas de Amor - Crica Moraes/ CD Reações Adversas - Colettive
  • São José - Waldir Vera e Henrique Abib/ CD Em Casa - Waldir Vera
  • Mãe Brasa - Karen Dias e Nando Castro/ CD As Lavadeiras - As Lavadeiras
  • Palheta Perdida - Nando Rodrigues, Leandro França e Will Marcondes/ CD Palheta Perdida - Palheta Perdida
  • De Onde Eu Venho - Acme/ CD De Onde Eu Venho! - Acme
  • Mulher de Trinta - Alex Constantino e Laércio Vieira/ CD Segredo - Alex Constantino
  • Sonhar com Você - Enio Lobo/ CD De Cara - Enio Lobo
  • Um Pelicano - Dani Dias/ CD Amaranto - Amaranto
  • Eu Quero Muito essa Mulher - Carlos Mello/ CD Brega Sim Trash Não - Big Charles
  • Pindorama - Rodrigo MArques/ CD Alvorada - Brenô
  • Pra Sempre - Slow Mind/ CD Até o Fim - Slow Mind
  • Cansei - Ra ta ta/ CD Arena MC - Arena MC
  • Sem Hora e Sem Lugar - Juquinha e Andrew Rodrigo/ CD Esperando Por Ti - Juquinha