Evento do Junho Verde apresenta aplicativo sobre reciclagem nesta terça-feira, na Braz Cubas

Secretaria do Verde e Meio Ambiente

10 de junho de 2019
Acessibilidade

Como parte da programação do Junho Verde, será apresentado nesta terça-feira (11/06), às 10 horas, na Universidade Braz Cubas (UBC), sala interativa – 1328, o Aplicativo de Reciclagem desenvolvido por professores e alunos do curso de Gestão Ambiental, em parceria com técnicos da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente. O aplicativo auxiliará no cadastramento de todos os catadores independentes e sucateiros que atuam na cidade.

De acordo com o diretor da Secretaria do Verde, André Miragaia, este trabalho tem como objetivo identificar todos os profissionais que atuam nesta área em Mogi das Cruzes. “Queremos conhecer essa realidade da reciclagem no município, identificando essas pessoas. A presença e a atuação desses catadores contribui para reduzir o volume de material encaminhado para o transbordo, diminuindo consequentemente os custos de destinação para o município”, explica.

Miragaia completa dizendo que, a partir do lançamento do aplicativo, a cidade contará com uma importante ferramenta de mensuração do trabalho de reciclagem independente. No segundo semestre, a ideia é contar com o apoio de alunos da UBC, que atuarão em campo e ajudarão no cadastramento dos catadores independentes, contribuindo para abastecer essa base de dados. “No futuro, queremos disponibilizar também o aplicativo para a população”, observa Miragaia.

O programa Recicla + Mogi funciona na cidade desde 2012 e, neste período, vem sendo responsável pelo aumento dos índices de coleta seletiva em toda a cidade. Baseado em um acordo de cooperação técnica com o Japão, por meio da cidade de Toyama, o Recicla + Mogi foi responsável pelo aumento no índice de reciclagem, que saltou de 0,5% em 2012 para 5% este ano. Além disso, o caminhão do Recicla Mogi percorre os bairros da cidade três vezes por semana recolhendo lixo reciclável.

A cidade possui uma Usina de Triagem, onde os agentes de coleta e separação trabalham. Além disso, a Cooperativa Cata Sampa também atua na cidade. Depois de recolhido, o lixo segue o caminho natural da reciclagem, com cada item seguindo seu ciclo de reaproveitamento e contribuindo para a geração de renda.

A cidade possui três ecopontos, localizados nos bairros do Socorro, Jundiapeba e Parque Olímpico. O ecoponto do Parque Olímpico está fechado atualmente e passando por reforma: o equipamento passará a operar em um modelo mais atual, com baias específicas para descarte de material e mais espaço.

Mogi das Cruzes possui também o programa Cata-Tranqueira, que acontece semanalmente, aos sábados. Nele, caminhões da prefeitura percorrem um bairro específico recolhendo materiais sem uso, como sofás, móveis velhos, madeira, entre outros, dando destinação adequada e evitando que sejam descartados em rios, córregos e áreas públicas ou privadas. (Marco Aurélio Sobreiro)