Prefeitura investirá R$ 7,7 milhões no Coletor Ipiranga, com recursos do governo federal

Serviço Municipal de Águas e Esgotos

05 de fevereiro de 2020
Acessibilidade

A Prefeitura de Mogi das Cruzes dará continuidade à licitação que definirá a empresa responsável pela construção do coletor-tronco de esgotos na margem direita do Ribeirão Ipiranga, com a abertura, na próxima sexta-feira (07/02), do envelope número 2 (proposta comercial). O coletor será construído entre o Parque Morumbi e o Centro, com um total de 6,7 quilômetros. O investimento será de R$ 7,7 milhões, com recursos do Governo Federal.

O prazo da obra será de 24 meses após a conclusão do processo licitatório, assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço.

O sistema atenderá os moradores do Parque Morumbi, Vila da Prata, Conjunto São Sebastião, Pedreira, Caputera, Mogi Moderno e parte da região central.

Desde 2012, o Semae trabalha para implantação de sistema de coleta e tratamento de esgoto no Parque Morumbi. De outubro daquele ano a fevereiro de 2013, a autarquia instalou toda a tubulação para coleta de esgoto no bairro.

Quanto ao tratamento, o Semae apresentou projeto para instalação de uma estação compacta. A proposta não foi aceita pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e a autarquia, então, fez um projeto para coletor-tronco e buscou recursos para a obra.

Em 2016, o município conseguiu garantir verba da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental (que pertencia ao então Ministério das Cidades). No entanto, ao longo de três anos, a Prefeitura não abriu a licitação porque aguardava a liberação dos recursos, pelo Governo Federal, que por meio dos analistas da Caixa Econômica Federal solicitou recorrentes revisões do projeto.

O esgoto coletado nessa região será enviado para um interceptor nas proximidades da linha férrea, e de lá, enviado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano. Concluído, o sistema proporcionará um aumento de 6,4% no esgoto tratado.

Atualmente, Mogi das Cruzes coleta 95% e trata 61% do esgoto coletado.

O município vem investindo de forma constante para melhorar esses índices, com obras em andamento, como o esgotamento sanitário do Botujuru; esgotamento sanitário em Sabaúna; reforma e modernização da Estação Elevatória de Esgoto Indonésia, em Jundiapeba; início das obras de esgotamento sanitário na Vila Nova Jundiapeba; projetos para esgotamento sanitário em núcleos isolados e projeto de ampliação da Estação de Tratamento de Esgotos Municipal. (Julio Nogueira)