Caps AD realiza mais de 18 mil procedimentos em um ano de funcionamento

Secretaria de Saúde

10 de janeiro de 2020
Acessibilidade

O Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD) de Mogi das Cruzes realizou 18.833 atendimentos no período de um ano. O serviço, inaugurado em janeiro de 2019, oferece tratamento ambulatorial com uma equipe multidisciplinar para dependentes químicos. 

Ao todo, 1.233 pacientes passaram pela unidade no primeiro ano de serviço com a realização de 4.684 consultas médicas e outras 5.510 com psicólogos. O serviço de assistência social realizou 2.544 atendimentos, enquanto a equipe de enfermagem fez 6.095. 

O Caps AD é planejado para promover um tratamento com foco na recuperação integral do paciente, com atendimento realizado por uma equipe multidisciplinar. 

Médicos psiquiatras, psicólogos, assistente social e equipe de enfermagem integram essa assistência que contribui ainda para o resgate de vínculos familiares, profissionais e sociais com auxílio de grupos terapêuticos.

A unidade conta com oficinas que incentivam a ressocialização e novos aprendizados nas áreas de esporte, música, horta e artesanato. 

Além das atividades propostas internamente, o Caps AD estimula a integração dos pacientes em ações externas. Um dos exemplos foi a presença dos pacientes na Jornada Esportiva, um campeonato que reuniu equipamentos de saúde mental de cidades do Alto Tietê, assim como a Copa da Inclusão, evento esportivo e cultural realizado anualmente em São Paulo.

Durante o tratamento realizado no Caps AD, todos os aspectos que envolvem a recuperação do paciente são trabalhados pela equipe de profissionais para a autonomia e retorno de uma rotina diária saudável. Nesse sentido, em novembro foi inaugurado o serviço que auxilia no retorno ao mercado de trabalho.

Com encontros que ocorrem semanalmente, os pacientes recebem apoio e orientações. Entre as atividades, orientações de como se comportar durante uma entrevista de emprego e elaboração de currículo são prestadas. 

“Com esse trabalho conseguimos recuperar a autoestima dos pacientes, eles conseguem levantar a cabeça. Trabalhamos ainda em questões envolvendo a parte financeira, de como lidar com o dinheiro. Um emprego ajuda na recuperação, além de poder evita as recaídas, pois a pessoa em tratamento volta a se enxergar como parte da sociedade, passa a contribuir com as despesas de casa”, avalia a assistente social do Caps AD, Ana Cristina Menezes.

Segundo a psicóloga da unidade, Aline Ferro, a participação da família durante o tratamento exerce um papel fundamental. Para estimular e fortalecer os laços familiares no decorrer deste processo, o serviço realiza semanalmente o grupo de família. 

“Um dos principais ganhos do tratamento ambulatorial é a relação que o usuário do serviço tem com a realidade dele todos os dias, que é o voltar para casa, família e enfrentar cada situação que pode propiciar recaídas. Cada vez que o paciente vem para o Caps AD ele é recebido com informações e reflexões que fazem com que crie uma estratégia para esse enfrentamento. A família passa a ver essa evolução na prática”, destaca.

O Caps AD funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17 horas, na rua Julio Mobaid, 61. Informações pelo telefone 4722-3689.