Prefeitura mobiliza secretarias em operação rescaldo para minimizar os efeitos da chuva

Secretaria de Serviços Urbanos

03 de janeiro de 2017
Acessibilidade

A Prefeitura de Mogi das Cruzes mobilizou equipes das Secretarias Municipais de Serviços Urbanos, Segurança e Transportes para minimizar os efeitos da forte chuva de segunda-feira (03/01) à noite. O índice pluviométrico registrado foi de 59,3 milímetros - acima de 30 milímetros, a Defesa Civil trabalha com risco de alagamento. Houve pontos de acúmulo de água em todas as regiões da cidade, mas o sistema de drenagem garantiu o escoamento gradativo da água. Não há desabrigados ou desalojados. O secretário municipal de Serviços Urbanos, Dirceu Lorena de Meira, explicou que os funcionários começaram a atender ocorrências na própria segunda-feira, assim que a chuva começou: "Houve quedas de árvores e mobilizamos as equipes para percorrer os bairros. Foram feitas ações de corte de galhos, poda e limpeza nas ruas. Ficamos de prontidão até por volta das 23 horas e recomeçamos o rescaldo nesta terça-feira bem cedo, fazendo um pente fino nos bairros e na região central", disse. Não houve alagamento no túnel do Complexo Viário Jornalista Tirreno Da San Biagio. Duas equipes da Guarda Municipal estiveram no local, uma por volta das 18 horas e outra por volta das 19 horas. Ambas não identificaram qualquer problema. As bombas de drenagem funcionaram normalmente. Em razão do grande volume de água, uma enxurrada desceu pelo túnel, o que pode ter assustado alguns motoristas - que voltaram de ré. O secretário municipal de Segurança, Paulo Roberto Madureira Sales, disse que a Guarda Municipal ficou mobilizada até a meia-noite de segunda-feira e percorreu a cidade durante toda a terça. Um dos locais visitados foi a passagem subterrânea. "Nós passamos pelo túnel durante a chuva e não houve alagamento. A água escoou pelo túnel, mas os carros trafegaram normalmente", disse. O secretário ressaltou que as equipes permanecerão em estado de alerta durante todo o verão, estação em que as chuvas intensas são comuns principalmente no final da tarde e início da noite, como aconteceu na segunda-feira. Árvores A Defesa Civil registrou a queda de duas árvores na parte interna da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), que obstruíram a calçada e parte da rua Manoel Bezerra Lima Filho. Uma equipe da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos fez a retirada do material. Também foi registrada a queda de um galho de médio porte da parte interna da E.E. Dr. Washington Luiz, atingindo a rede elétrica da rua Dom Antônio Cândido de Alvarenga, por volta das 18h de segunda-feira (02/01). Com isso, houve uma queda de energia na região do Centro Cívico. Agentes de trânsito foram deslocados para os pontos de maior fluxo de veículos para orientar o tráfego. A EDP Bandeirante foi acionada, esteve no local e retirou os galhos da rede elétrica. Em seguida, uma equipe da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos fez a poda corretiva da árvore retirou o material. O rio Tietê está com nível de 2,62 metros - o risco de transbordamento ocorre a partir de 3,60 metros. O Semae informa que, nesta época do ano, com as chuvas fortes, é comum aparecerem os efeitos das ligações de águas pluviais conectadas na rede de esgoto. Estas ligações são irregulares e acabam sobrecarregando o sistema de drenagem. A autarquia lembra os cidadãos devem fazer uma verificação em casa e, se houver ligações do tipo, é necessário providenciar a separação. (MAS)